Lygia & Hilda

Que pena não poder visitar a Ocupação HH, no Itaú Cultural! Se pudesse, me mandava para SP a conhecer mais do universo de Hilda, como dois anos atrás fiz, para ver uma palestra da querida, divina Lygia. Que encontro raro, o destas duas escritoras, tão exuberantes de talento e beleza, cada uma a seu modo – e, se pendo mais para Lygia (minha favorita desde que eu tinha 12 anos), agora aproveito o pretexto para me redimir com Hilst, lendo o que dela ainda não tinha provado. É o caso dos Cantares, que me chegam no momento propício. Não deixe o leitor de procurar o livro inteiro; aqui vão apenas os versos iniciais, para sedução.

“Que este amor não me cegue nem me siga.

E de mim mesma nunca se aperceba.

Que me exclua do estar sendo perseguida

E do tormento

De só por ele me saber estar sendo.”